Imprimir PDF

Moonlite

Juntos chegaremos à Lua

UCL Representação artística da sonda britânicaUCL

Nasa poderá engajar-se no projeto britânico de enviar uma sonda não tripulada à Lua. Um estudo que a agência espacial norte-americana deve publicar neste mês classifica a iniciativa do Reino Unido de “inspiradora” e conclui que ela preenche uma importante lacuna em seu programa de exploração, que prevê a colonização da Lua a partir de 2020. Batizada de Moonlite, a missão independente britânica prevê o envio de uma nave para a órbita lunar, a partir da qual seriam lançados quatro instrumentos de observação. Eles se chocariam contra o solo lunar em velocidades extremamente elevadas e penetrariam a superfície numa profundidade de 2 metros. Os petardos incrustados permitiriam que os cientistas avaliassem a atividade sísmica da Lua e trariam elementos para compreender a estrutura física e química abaixo do solo. A Nasa deverá pedir aos idealizadores do projeto que apresentem um estudo de viabilidade nos próximos meses. “Neste momento, é bastante provável que isso aconteça e que tenhamos em 2012 o lançamento da primeira missão britânica à Lua”, disse à agência BBC Alan Smith, líder do projeto e pesquisador do Mullard Space Sciences Laboratory. Se tudo sair como o esperado, a Nasa deve integrar-se ao esforço britânico em meados deste ano. Se o Moonlite tiver sucesso, o plano seguinte é enviar uma nave que aterrissaria na Lua para procurar lugares adequados à colonização pelos humanos.

Republicar