Imprimir PDF

Ética

O julgamento se aproxima

STF Ellen Gracie (centro) conversa com grupo de pesquisadoresSTF

Um grupo de pesquisadores foi recebido em audiência no dia 13 de dezembro pela presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ellen Gracie. Liderado pelo presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Marco Antonio Raupp, e pela pró-reitora de Pesquisa da USP, Mayana Zatz, o grupo obteve a promessa de que a Ação Direta de Inconstitucionalidade movida contra a lei brasileira de biossegurança será julgada logo depois das férias do Judiciário. A lei, que permite as pesquisas com células-tronco derivadas de embriões congelados há pelo menos três anos, foi publicada em março de 2005 e logo depois foi questionada no Supremo pelo então procurador-geral da República, Claudio Fonteles. Os cientistas defendem o uso de células-tronco embrionárias com o argumento de que essa modalidade de pesquisa é mais promissora do que a com células-tronco retiradas de pessoas adultas e pode, no futuro, ajudar no tratamento de doenças graves como mal de Parkinson ou distrofias musculares. A geneticista Mayana Zatz conversou com o relator da ação, o ministro Carlos Ayres Britto, que se comprometeu a entregar seu relatório até fevereiro. “Falamos da importância das pesquisas e de votar a ação o mais rápido possível”, afirmou.

Republicar