Imprimir PDF

Pierre Auger

Pierre Auger é destaque de 2007

Em seu tradicional ranking dos dez maiores avanços científicos do ano, a revista norte-americana Science mencionou as descobertas sobre a origem dos raios cósmicos de alta energia – as partículas mais energéticas do Universo – feitas pelo Observatório de Raios Cósmicos Pierre Auger, na Argentina, resultado de um consórcio internacional com a participação de 250 cientistas de 19 países. Conforme publicado na própria Science de 9 de novembro, estes raios cósmicos devem se formar nas proximidades de buracos negros – sorvedouros de matéria e energia – encontrados nos núcleos de galáxias ativas das vizinhanças de nossa própria galáxia, a Via Láctea. O Brasil participa do projeto com 18 pesquisadores de dez instituições de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, além de alunos de mestrado, doutorado e iniciação científica, e cinco empresas. A FAPESP investiu US$ 2,5 milhões no projeto; a Finep, US$ 1 milhão; o CNPq, US$ 300 mil; e a Faperj, R$ 200 mil.

Republicar