Imprimir PDF

Odontologia

Sorriso regional

Imagem: MIGUEL BOYAYAN Água fluoretada: rara em áreas pobresImagem: MIGUEL BOYAYAN

Crianças das regiões Norte e Nordeste do Brasil têm mais cáries e perdem mais dentes do que as que brincam pelo Sul e Sudeste. E não adianta lhes dizer que escovem melhor os dentes. Um estudo feito por pesquisadores da Pontifícia Universidade Católica do Paraná e da Faculdade de Odonto­logia da Universidade Estadual de Cam­pinas, em Piracicaba, e publicado em abril na re­vista BMC Oral Health, mostrou que o problema maior sai das tor­neiras: água sem flúor. Orga­nizações de saúde internacionais indicam a fluoretação da água tratada – recomendação que no Brasil foi adotada em 1974 por uma lei federal. Porém um levantamento que amostrou 246 municípios do país todo deixa claro que a implementação da medida não foi homogênea. No Norte e no Nordeste 89,8% dos municípios não têm flúor adicionado à água, uma região que coincide com carência social. Já em áreas mais privilegiadas boa parte dos municípios tem água fluoretada, alguns desde os primeiros anos da iniciativa. Para a equipe, os resultados mostram que a desigualdade não se limita à distribuição de recursos econômicos e esperam chamar a atenção para a necessidade de estender iniciativas de saúde pública para as regiões mais pobres.