Imprimir PDF

Ética

Cerco à pesquisa

Duas universidades da Alemanha sucumbiram a pressões políticas e decidiram interromper experiências com plantas geneticamente modificadas. “A decisão também não me agrada”, disse à revista Nature Stefan Hormuth, presidente da Universidade Justus Liebig, da cidade de Giessen. “Mas a oposição dos políticos e da população local se tornou insuportável.” No mês passado, ativistas ocuparam a área de 1.500 metros quadrados onde a universidade faria experimentos com um tipo de milho resistente a insetos. Em abril, o economista e reitor Werner Ziegler, da Universidade Nürtingen-Geislingen, em Baden-Württemberg, também determinou a interrupção de experimentos com milho transgênico resistente a insetos e a fungos. “As coisas fugiram do controle. São ataques por e-mail, vandalismo, intimidação e ameaças pessoais”, disse ele. Em ambos os casos, a segurança das pesquisas havia sido assegurada por órgãos técnicos.

Republicar