Imprimir PDF

Educação

Sucesso e fracasso escolares

A Teoria da Atribuição de Causalidade representa um interessante corpo teórico para analisar como os alunos explicam as suas situações de sucesso e de insucesso escolar. O artigo “Atribuições causais para o sucesso e fracasso escolares”, de Leandro da Silva Almeida e Lúcia Miranda, da Universidade do Minho, em Braga, Portugal, e María Adelina Guisande, da Universidade de Santiago de Compostela, de Santiago de Compostela, Espanha, analisa se essas atribuições causais se diferenciam de acordo com o gênero e o ano escolar dos alunos. A amostra foi composta por 868 alunos do 5º ao 9º ano de escolaridade. A avaliação recorreu ao Questionário de Atribuições de Resultados Escolares, no qual os alunos ordenam seis causas possíveis (esforço, método de estudo, bases/conhecimentos, ajuda dos professores, sorte e capacidade) consoante a sua importância na explicação dos seus sucessos e dos seus insucessos escolares. Os resultados sugerem que os alunos, independentemente do sexo e do ano escolar, associam os seus resultados acadêmicos (sucesso e fracasso) ao esforço, surgindo ainda para explicar o insucesso à falta de métodos apropriados de estudo. À medida que se avança na escolaridade, as bases de conhecimento surgem mais valorizadas na explicação do sucesso escolar. Por outro lado, os rapazes parecem recorrer mais à capacidade para explicar o seu sucesso, e as meninas mais ao esforço e às bases de conhecimento. Na explicação do insucesso, a falta de esforço e de método de estudo surge mais valorizada que a capacidade conforme se avança na escolaridade, o que parece proteger a auto-estima dos alunos.

Estudos de Psicologia (Campinas) – v. 25 – nº 2 – Campinas –  abr./jun. 2008

Republicar