TECNOCIÊNCIA

Print Friendly

O que come um elefante

Edição 159 - Maio de 2009

Print this pageEmail this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookShare on LinkedIn

 

Da tromba à cauda: pelos identificam água

Pelos da cauda de um elefante podem revelar o que ele comeu ou bebeu: basta medir as formas em que ali se apresentam o carbono, nitrogênio e hidrogênio. Com esse recurso, pesquisadores da Universidade de Utah e da Universidade Estadual do Colorado, nos Estados Unidos, e da Universidade de Oxford, no Reino Unido, acompanharam por seis anos a dieta de uma família de elefantes nas reservas nacionais de Samburu e Buffalo Springs, no Quênia (PNAS). Viram que os elefantes comem mais capim duas semanas depois do pico de produtividade das plantas, e três semanas depois as fêmeas têm mais chances de conceber. Comparar esses dados às chuvas e à produtividade das plantas é valioso para entender como os elefantes usam o ambiente, o que pode orientar o manejo desses animais nos parques.

Print this pageEmail this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookShare on LinkedIn