Imprimir PDF

Infraestrutura

Acervo multiplicado

Programa FAP-Livros, da FAPESP, destina R$ 33,9 milhões para aquisição de 165 mil títulos

A FAPESP anunciou os resultados da sexta chamada do programa FAP-Livros, que apoia a compra de livros, e-books e publicações em várias mídias e busca atualizar o acervo de bibliotecas vinculadas a universidades e instituições de pesquisa, públicas ou privadas, no estado de São Paulo. O valor total das propostas recomendadas foi de R$ 33.923.638,00. Como esse total era superior aos R$ 25 milhões previstos na chamada, a Diretoria Científica da FAPESP recomendou e o Conselho Técnico-Administrativo aprovou uma suplementação de R$ 8,9 milhões. “Dessa forma, será possível apoiar fortemente todas as 175 propostas qualificadas e viabilizar a aquisição de aproximadamente 165 mil títulos para as bibliotecas de 175 instituições de pesquisa no estado de São Paulo”, destacou Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP. Na chamada anterior, de 2006, foram distribuídos cerca de 130 mil títulos.

Participaram da chamada bibliotecas de instituições que tiveram pesquisadores vinculados a solicitações de qualquer natureza apoiadas pela FAPESP no período de 2003 a 2009. O FAP-Livros é parte da rubrica “Apoio à Infraestrutura de Pesquisa” do orçamento da Fundação e tem como objetivo viabilizar a aquisição de livros necessários para projetos de pesquisa em bibliotecas de acesso público de instituições que tiveram pesquisadores liderando auxílios e bolsas FAPESP nos últimos anos. As propostas foram analisadas considerando-se os benefícios ao desenvolvimento científico e tecnológico do estado e a capacitação das instituições proponentes.

A Universidade de São Paulo (USP) lidera a lista de entidades com as maiores concessões, com valor recomendado de R$ 11.008.064,00. Em seguida vem a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com R$ 9.245.884,00, e a Universidade Estadual Paulista (Unesp), com R$ 3.883.893,00 (ver quadro ao lado). O maior volume de solicitações e de concessões foi para propostas das áreas de ciências humanas e sociais, que receberam R$ 17 milhões. As publicações adquiridas atua­lizarão o acervo de bibliotecas vinculadas a instituições de ensino superior e pesquisa. Após a aquisição, as obras deverão, obrigatoriamente, compor o acervo da biblioteca da instituição e ser disponibilizadas para acesso público. Segundo Marta Valentim, coordenadora da Coordenadoria Geral de Bibliotecas (CGB), que congrega 32 bibliotecas da Unesp, a regularidade das chamadas do programa FAP-Livros faz com que os pesquisadores se mobilizem para participar delas. “A comunidade se prepara para indicar o material bibliográfico necessário”, afirma. “As universidades têm orçamentos para o desenvolvimento de coleções das suas bibliotecas, mas os valores são pequenos quando comparados às bibliotecas estrangeiras, por isso o FAP-Livros é importante ao ajudar a suprir uma demanda que não é totalmente atendida”, diz.

De acordo com Sandra Nitrini, diretora da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, a FAPESP atendeu quase integralmente à solicitação da unidade no âmbito do FAP-Livros. Atualmente, a Biblioteca Florestan Fernandes da FFLCH tem mais de 860 mil itens. Com a recente chamada do programa FAP-Livros, serão acrescentados 29.382 itens. “As chamadas do FAP-Livros contribuem para um contínuo processo de complementação deste acervo, o que garante a manutenção de seu padrão e a qualidade e a disponibilização de uma coleção cada vez mais rica e atualizada, fator imprescindível para o avanço e a produção do conhecimento nas humanidades”, disse Sandra. Ela conta que o acervo causou excelentes impressões no processo de avaliação externa por que passou a faculdade. “Os professores estrangeiros, um da Universidade de Lisboa e outro da École Normale Supérieure de Paris, foram os que mais se impressionaram. Os brasileiros, que já o conheciam, não deixaram de registrar também o reconhecimento do valor de nosso acervo, que dispõe também de livros raros”, afirmou.

Nádia Farage, diretora do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH), da Unicamp, diz que a atua­lização do acervo da biblioteca da instituição tem um impacto que vai além da pesquisa e do ensino na universidade. “Somos uma biblioteca pública e pesquisadores de vários lugares do país vêm consultar obras de nosso acervo”, afirma. A indicação de obras para o programa, diz Nádia, responde às necessidades dos nove programas de pós-graduação do instituto. “Graças ao FAP-Livros, nosso acervo está bastante atualizado e dispõe de lançamentos recentes no mercado editorial internacional. Não é uma biblioteca de grandes quantidades, pois queremos diversidade, não volume”, afirmou. Segundo Michael Hall, coordenador da biblioteca e professor do IFCH, o recente edital do FAP-Livros vai fortalecer a pesquisa do instituto em várias áreas, com destaque para história da arte e filosofia moderna e temas relacionados à África e à América Latina. “A indicação de obras para o edital é sempre um grande evento no nosso instituto”, diz Hall.

Republicar