Apresentação

Química para a vida e para o futuro

Em 2006 a Etiópia enviou à International Union of Pure and Applied Chemistry (Iupac) uma proposta para a criação do Ano Internacional da Química (AIQ) que foi bem aceita pelos participantes da 44ª assembleia geral da instituição, realizada em agosto de 2007 na cidade de Turim, Itália. Ali mesmo foi aprovada por unanimidade a resolução estabelecendo 2011 como o AIQ [www.chemistry2011.org], um fato histórico num período de 100 anos, já que nunca houve manifestação mundial similar para mostrar ao público em geral a química como ciência responsável pela vida na Terra e, portanto, ressaltar suas grandes descobertas e benefícios para a espécie humana.

Assim, a escolha do tema Chemistry our life our future – Química: nossa vida, nosso futuro – foi intencional e objetivou uma enorme corrente em prol da educação em química para um mundo melhor. É muito difícil qualificar e quantificar para o público leigo, crianças e jovens de diferentes etnias e em diferentes contextos sociais, a beleza e a utilidade de uma ciência conhecida como hard science e, em muitos aspectos, malvista por estar associada às guerras químicas, poluição, catástrofes nucleares, morte e desolação.

Pesou, também, na escolha de 2011 para homenagear a química em todo o mundo, a celebração do centenário da concessão do Prêmio Nobel de Química a Marie Curie, primeira mulher a receber a mais alta láurea da ciência. Seu trabalho sobre radioatividade e a descoberta do rádio e do polônio, aliados à sua perseverança como cientista num ambiente dominado por homens, foram marcantes e a incluem entre as 300 grandes personalidades da humanidade. Nada mais justo do que eleger este ano como sendo o ano das mulheres na ciência, e assim também celebrarmos as mulheres cientistas que vêm dando significativa contribuição ao desenvolvimento social e econômico do país e do planeta.

O estágio de desenvolvimento alcançado pelo homem é fantástico e, ao mesmo tempo, estarrecedor quando projetamos o futuro do planeta e das próximas gerações. Dentro dessa ótica, a sustentabilidade da vida na Terra é um desafio constante para os químicos, que, com inteligência, sabedoria e ousadia, poderão contribuir de forma marcante para harmonizar o desenvolvimento e a sustentabilidade do planeta e das pessoas. Nesse contexto, o AIQ elencou uma série de ações para serem executadas em todo o mundo, todas tendo como pano de fundo a educação. O que se buscou foi mostrar aos jovens que a química é uma ciência fundamental para se entender o cosmo e, portanto, explicar tanta coisa fascinante do planeta Terra. Da simplicidade da água (H2O) à complexidade das proteínas, a química é base para obtenção de alimentos, energia, medicamentos e inúmeros produtos manufaturados, essenciais à sociedade global, com bilhões de pessoas, na qual a escassez e a sustentabilidade são desafios imperativos.

Gerar compromisso com a química como ciência central que permeia inúmeras atividades essenciais, com responsabilidade, alegria e entusiasmo dos futuros profissionais, é uma das tarefas mais desafiadoras propostas pelo AIQ e foi com esse objetivo que a Sociedade Brasileira de Química (SBQ) e a FAPESP somaram esforços para organizar o ciclo de conferências Química: nossa vida, nosso futuro. Dentre as atividades nacionais idealizadas para homenagear o AIQ, esta foi a mais apreciada e bastante discutida pela comunidade acadêmica, pelos estudantes do ensino médio e por representantes de vários blocos sociais, dada a sua diversidade de temas, todos importantes para a vida cotidiana de todo o cidadão, numa sociedade complexa, em constante mudança. Ao longo de 2011 foram realizadas 33 conferências sobre os mais diversos temas, todos de grande relevância para o desenvolvimento social e econômico nacional, além de catalisar discussões inteligentes sobre os desafios globais, quais sejam: água, alimentos, saúde, energia e mudanças climáticas, em que a química, por sua essência plural, muito pode contribuir.

Vanderlan da S. Bolzani é professora titular do IQ-Unesp e vice-diretora da Auin-Unesp