NOTÍCIAS

Print Friendly

Cesar Ades, uma perda para a ciência

CARLOS FIORAVANTI | Edição Online 12:44 15 de março de 2012

 

Sorriso e simpatia: marcas registradas do professor

Vítima de um atropelamento ocorrido na avenida Paulista, zona oeste de São Paulo, no dia 8 de março, o professor da Universidade de São Paulo (USP) e especialista em comportamento animal Cesar Ades faleceu ontem (14) e foi sepultado hoje (15).

Nascido no Cairo, Egito, em 1943, Ades veio para o Brasil aos 15 anos. Formou-se no Instituto de Psicologia da USP, do qual foi professor, vice-diretor e diretor. Também assumiu uma série de outras funções administrativas na universidade, como a direção do Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP) até fevereiro deste ano. Uma das grandes autoridades do país no estudo do comportamento animal (etologia), Ades era conhecido pela cordialidade com que tratava os outros professores, estudantes e funcionários das repartições em que trabalhou.

“Ele me convenceu de que ideias eram mais importantes do que títulos”, observou Eduardo Bessa, um de seus ex-estudantes na disciplina de pós-graduação sobre comportamento animal, agora professor na Universidade do Estado de Mato Grosso e também especialista em etologia, em seu blog.
Sempre acessível, ele era uma constante fonte de informações e de boas histórias para os jornalistas e os leitores de Pesquisa FAPESP.

Leia as reportagens sobre pesquisas realizadas ou orientadas por César Ades publicadas em Pesquisa FAPESP:
Capacidade de memorizar informações permite às aranhas aprimorar seus hábitos instintivos de caça
Vira-lata diferencia frases com dois termos e usa teclas para se comunicar com humanos
Típicos da Mata Atlântica, os muriquis têm uma forma de comunicação singular

Artigo de César Ades:
Darwin, instinto e mente


Matérias relacionadas

BIODIVERSIDADE
Aranhas têm diferentes mecanismos de reconhecimento de cores
MEMÓRIA
Mulheres contribuíram para a disseminar a psicanálise no Brasil
ETOLOGIA
Artigo descreve como macacos-prego quebram castanhas-de-caju