CARTAS

Print Friendly

Cartas | Ed. 236

ED. 236 | OUTUBRO 2015

 

Crise da água
A reportagem “Água reciclada” (edição 235) é muito boa. Sou uma engenheira de meio ambiente estrangeira que mora no Brasil. Estou feliz que os engenheiros brasileiros estejam pensando em soluções avançadas e sustentáveis.

Shazeeda Ameerally
Via Facebook

***

Jornalismo científico
Sobre a reportagem “Paz relativa” (edição 235), não dá para o jornalista passar a informação ao público tal qual o cientista falou. Ele traduz a mesma informação de forma que o público entenda, senão a informação não foi passada.

Augusto de Souza
Via Facebook

***

O grande problema do jornalismo científico é a interpretação e entendimento por parte dos jornalistas quando se trata de assunto científico ou médico. Seja na imprensa escrita ou falada.

Edmundo Santana dos Santos
Via Facebook

***

Pesquisa no Irã
O Irã tem uma importante rede de universidades, algumas estão entre as mais antigas do mundo, com pesquisadores formados nos principais centros (nota da seção Estratégias, “Otimismo na pesquisa do Irã”, edição 234). Nos congressos internacionais como o International Association for Media and Communication Research, mesmo durante as sanções era ativa a participação de pesquisadores iranianos da área de comunicação.

Elias Machado
Via Facebook

***

Magda Soares
Gostei da frase de Magda Becker Soares (“O poder da linguagem”, edição 233) sobre a preocupação em disseminar o conteúdo científico dos artigos de pesquisa para a comunidade não científica, de forma a colocar à disposição de toda a sociedade as descobertas em uma linguagem mais acessível fazendo com que as portas do conhecimento atualizado estejam abertas à população. Muitas vezes essa população nem sabe quem é quem e o que fazem os nossos pesquisadores nos diferentes campos da ciência.

Marte Ferreira da Silva
Atibaia, SP

***

Vídeos
Senti saudades de Ribeirão Preto ao ver o vídeo “Um enxame ordenado”. Sou muito grato ao Departamento de Genética da USP de Ribeirão pela formação que recebi em produção de rainhas e inseminação instrumental. Gastei muitas horas nesse mesmo laboratório onde foi realizada a entrevista.

Raimundo Maciel
Via Facebook

***

Interdisciplinaridade e popularização da ciência e tecnologia: precisamos utilizar todas as formas de mídia para compartilharmos conhecimento. Parabéns a todos os envolvidos no vídeo “Força que vem da união”.

Silvestre Labiak Jr.
Via Facebook

***

Achei superinteressante o vídeo “Da garoa à tempestade” sobre as chuvas em São Paulo, pois tratam da influência da urbanização na maximização das chuvas intensas.

Andrey Binda

Via Facebook

***

Correção
A capacidade de produção de etanol da GranBio é de 82 milhões de litros por ano com palha de cana e não de 82 bilhões, como consta na página 73 da reportagem “A vez da biotecnologia na biomassa” (edição 235). Até agosto, a produção atingiu 3 milhões de litros de etanol e não 3 bilhões.

Cartas para esta revista devem ser enviadas para o e-mail cartas@fapesp.br ou para a rua Joaquim Antunes, 727, 10º andar – CEP 05415-012, Pinheiros, São Paulo-SP. As cartas poderão ser resumidas por motivo de espaço e clareza.


Matérias relacionadas

GENÉTICA
Os desafios de diagnosticar e tratar disfunções genéticas sexuais
MENDEL,MD
Ferramenta auxilia no diagnóstico de doenças genéticas
AEDES AEGYPTI
Infecção prévia por dengue não agrava o quadro de zika