CARTAS

Print Friendly

Cartas | 237

ED. 237 | NOVEMBRO 2015

 

Revista
Gostaria de partilhar uma experiência para valorizar Pesquisa FAPESP. Estava em visita ao meu pai em um fim de semana quando ele me disse: “Sempre que vou à clínica, leio uma revista muito boa”. E me mostrou a capa de Pesquisa FAPESP. Ele disse que as reportagens são muito interessantes, a linguagem boa de acompanhar e comentou alguns textos. Meu pai pediu a revista para a secretária da clínica de modo a ler com calma em casa. José Maria Castelucci é o nome dele, um homem muito lúcido, de 79 anos, que adora novos conhecimentos. Foi ele quem me estimulou para a vida acadêmica! Parabéns à revista, que cumpre seu papel de divulgação da ciência.

Patricia Castelucci
Instituto de Ciências Biomédicas III/USP
São Paulo, SP

***

No ambiente de perplexidade e insegurança em que vivemos, receber Pesquisa FAPESP a cada mês renova esperanças. Ler suas reportagens, sejam as dedicadas às ciências exatas ou às ciên-cias humanas, é receber conhecimento e tranquilidade. Tranquilidade sim, porque é alentador saber que uma legião de pesquisadores trabalha com tenacidade e rigor para o aprimoramento do conhecimento científico. Por mais de uma década de leitura, seria difícil citar quais os artigos que mais me cativaram. Nos inspiradores estudos de variada natureza, como, entre outros, os dedicados a astrofísica, biologia, biotecnologia, botânica, ornitologia, artes, história, memória, enfim, até mesmo em áreas nas quais laboro (música, antropologia, etnomusicologia), os textos são corretos na forma, no conteúdo e mostram esmero no projeto gráfico. Instituições como a FAPESP tornam o Brasil melhor.

Kilza Setti
Academia Brasileira de Música
Centro de Trabalho Indigenista
São Paulo, SP

***

Matemática do DNA
Interessante a reportagem A estrutura matemática do DNA(edição 235), que apresenta o trabalho de uma equipe de cientistas brasileiros que demonstrou, por meio de equações, que o código genético é similar ao funcionamento do sistema digital. Sinceros parabéns.
Francisco J. B. Sá
Salvador, BA

***

Reportagens de setembro
A edição de setembro (nº 235) literalmente jogou luz sobre três excelentes assuntos. Em relação à produção comercial do etanol de segunda geração e os desafios da empresa GranBio para consolidar a posição do Brasil na área nos últimos 10 anos, vemos não apenas nosso protagonismo, mas o fato de que somente nós é que podemos vencer os desafios que essa área demanda. Na leitura do texto “H2O no nanotubo” foi inevitável pensar na poliágua, engodo ou engano de décadas, junto com outros mais recentes, como a fusão a frio. Ficando clara a seriedade do trabalho dos pesquisadores da UFABC, uma sugestão para a revista é publicar um resgate histórico dessas fraudes científicas. Por fim, fiquei aliviado com a reportagem “Água reciclada”, que mostrou que há desenvolvimento e tecnologia brasileira para o reúso da água.

Adilson Roberto Gonçalves
Campinas, SP

***

Vídeo
Excelente o vídeo “Perigo na vizinhança”. Os pesquisadores brasileiros mais uma vez mostram a boa qualidade da ciência nacional.

Claudio Carvalho
Via Facebook

***

Correção
Na entrevista “Memórias de um ex-combatente” (edição 236), onde está escrito imigrar leia-se emigrar.

Cartas para esta revista devem ser enviadas para o e-mail cartas@fapesp.br ou para a rua Joaquim Antunes, 727, 10º andar – CEP 05415-012, Pinheiros, São Paulo-SP. As cartas poderão ser resumidas por motivo de espaço e clareza.


Matérias relacionadas

Folheie a edição 257
CARREIRAS
Quanto mais dados, melhor
CARREIRAS
Finep deverá injetar até R$ 400 milhões em startups