Imprimir PDF

Imagens tridimensionais

Imagens mais nítidas

Com um espelho do diâmetro de uma moeda acoplado às lentes de um microscópio, pesquisadores de centros de pesquisa dos Estados Unidos, da China e da Austrália conseguiram registrar imagens tridimensionais e em alta resolução de estruturas celulares extremamente pequenas, como os poros das membranas e o vírus sincicial respiratório humano. A técnica foi descrita em uma revista do Grupo (Light: Science and applications, 17 de junho): uma luz atravessa a célula em direção a um espelho, no qual reflete, voltando em seguida à célula. Desse modo se pôde fazer imagens em boa resolução dos eixos bidimensionais (altura e largura) e também do eixo tridimensional, perpendicular aos dois primeiros (profundidade), diferenciando estruturas muito próximas, antes indistinguíveis. Com as técnicas usadas atualmente, os pesquisadores cultivam as células em lâminas de vidro transparente e depois as analisam com o auxílio de um microscópio. Mesmo com os microscópios mais avançados, porém, é muito difícil obter imagens em boa resolução dos três eixos espaciais; normalmente a definição da profundidade é menor que as outras duas dimensões. Agora as células podem crescer diretamente nos espelhos do microscópio.

Republicar