BOAS PRÁTICAS

Print Friendly

Dois plágios e um autoplágio

ED. 248 | OUTUBRO 2016

 

Hossein Jafarzadeh e Karen Abrinia, pesquisadores da área de engenharia mecânica da Universidade de Teerã, no Irã, tiveram três artigos retratados nos últimos meses. Evidências de plágio foram responsáveis pelas duas primeiras retratações, ambas relacionadas a artigos divulgados em 2014: a dupla copiou dados e imagens de trabalhos publicados por um grupo da China, em 2013, e por colegas do próprio Irã, em 2011. Já no caso da terceira retratação, o Journal of Mechanical Science and Technology considerou que os dois pesquisadores cometeram autoplágio em um artigo publicado em 2015. O curioso foi a origem das informações copiadas – eles reproduziram trechos e figuras justamente dos dois artigos de 2014 retratados por plágio.

“Se você for plagiar seu próprio trabalho científico, evite utilizar papers que já plagiaram pesquisas dos outros”, ironizou o site Retraction Watch, ao noticiar o caso. Procurado pelo site, Abrinia justificou o plágio com o argumento de que as imagens e dados repetidos foram fornecidos por uma empresa de fotomicroscopia contratada para produzir material original e que ignorava se tratar de informação de segunda mão. Mas preferiu não dizer nada sobre o caso de autoplágio.


Matérias relacionadas

CARREIRAS
Saber coordenar grupos de pesquisa cria uma agenda de trabalho sustentável
BOAS PRÁTICAS
A geografia da autocitação
BOAS PRÁTICAS
Denúncia atrasa premiação na Alemanha