ESTRATÉGIAS

Print Friendly

Perdido em Marte

ED. 249 | NOVEMBRO 2016

 

O módulo Schiaparelli durante testes: choque fatal a 300 km por hora

O módulo Schiaparelli durante testes: choque fatal a 300 km por hora

A ambição da Agência Espacial Europeia (ESA) de enviar a Marte dentro de quatro anos um veículo para explorar a superfície do planeta sofreu um revés no dia 19 de outubro, quando o módulo Schiaparelli espatifou-se no solo marciano a mais de 300 quilômetros por hora. Foi a primeira vez que a ESA tentou fazer um pouso em Marte – até hoje, só a Nasa teve sucesso em missões desse tipo. Aparentemente, o Schiaparelli calculou de forma errada sua distância da superfície, livrando-se de um paraquedas e desligando propulsores capazes de atenuar a queda mais cedo do que deveria. O objetivo da viagem era justamente testar a capacidade dos europeus de aterrissar no planeta – o módulo enviaria imagens por menos de uma semana até esgotar suas baterias. Johann-Dietrich Wörner, diretor-geral da ESA, afirmou que a missão não foi um fracasso. Isso porque a sonda Trace Gas Orbiter, que levava o Schiaparelli, completou sua missão com êxito ao entrar na órbita de Marte, de onde vai analisar a atmosfera do planeta. E também porque o módulo enviou dados suficientes sobre a aterrissagem para mostrar o que deu certo e o que deu errado. O risco da ESA é político: o incidente pode atrapalhar o esforço da agência em obter o dinheiro necessário para a missão a Marte em 2020.


Matérias relacionadas

RENAN PADOVANI
Startup usa visão computacional para inspecionar peças de automóveis
PESQUISA BRASIL
Cérebro de dinossauro, relógio biológico e Indústria 4.0
ASTRONOMIA
Colisão de estrelas de nêutrons inaugura nova era na astronomia