ESTRATÉGIAS

Print Friendly

Perdido em Marte

ED. 249 | NOVEMBRO 2016

Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookShare on LinkedIn

 

O módulo Schiaparelli durante testes: choque fatal a 300 km por hora

O módulo Schiaparelli durante testes: choque fatal a 300 km por hora

A ambição da Agência Espacial Europeia (ESA) de enviar a Marte dentro de quatro anos um veículo para explorar a superfície do planeta sofreu um revés no dia 19 de outubro, quando o módulo Schiaparelli espatifou-se no solo marciano a mais de 300 quilômetros por hora. Foi a primeira vez que a ESA tentou fazer um pouso em Marte – até hoje, só a Nasa teve sucesso em missões desse tipo. Aparentemente, o Schiaparelli calculou de forma errada sua distância da superfície, livrando-se de um paraquedas e desligando propulsores capazes de atenuar a queda mais cedo do que deveria. O objetivo da viagem era justamente testar a capacidade dos europeus de aterrissar no planeta – o módulo enviaria imagens por menos de uma semana até esgotar suas baterias. Johann-Dietrich Wörner, diretor-geral da ESA, afirmou que a missão não foi um fracasso. Isso porque a sonda Trace Gas Orbiter, que levava o Schiaparelli, completou sua missão com êxito ao entrar na órbita de Marte, de onde vai analisar a atmosfera do planeta. E também porque o módulo enviou dados suficientes sobre a aterrissagem para mostrar o que deu certo e o que deu errado. O risco da ESA é político: o incidente pode atrapalhar o esforço da agência em obter o dinheiro necessário para a missão a Marte em 2020.

Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookShare on LinkedIn

Matérias relacionadas

FINANCIAMENTO
Instituto privado vai investir em pesquisas de caráter inovador no país
MARCO TÚLIO DE MELO
Especialista em distúrbios do sono conta como funciona a poltrona antissono
UK RESEARCH AND INNOVATION
Mark Walport vai comandar órgão de financiamento à ciência e tecnologia