NOTAS

Print Friendly

Um panorama da retração dos investimentos públicos em pesquisa e desenvolvimento

ED. 251 | JANEIRO 2017

 

012-017_Notas_251Um estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que reúne 35 dos países mais industrializados do mundo, indica que a média dos investimentos públicos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) sofreu uma queda nos últimos anos nas nações que compõem o bloco. Em 2000, o Reino Unido, por exemplo, investia cerca de 1,8% das despesas do governo em P&D. Em 2015, esse percentual declinou para aproximadamente 1,4%. O mesmo foi observado nos Estados Unidos, que direcionavam quase 2,5% do orçamento do governo para P&D e, em 2015, reduziu o índice para pouco mais de 2%. Países como França, México, Brasil (que não faz parte da OCDE), Austrália, Espanha e Israel também reduziram os gastos públicos com pesquisa. Em outros, como Coreia, Alemanha, Portugal, Chile e Argentina, houve aumento do orçamento voltado a P&D. A Coreia, por exemplo, foi de quase 2,5% em 2000 para mais de 3,5% em 2015. De acordo com o relatório, o crescimento dos orçamentos públicos voltados à pesquisa desacelerou em muitos países desenvolvidos após 2009, por força da crise econômica mundial. “A pressão contínua sobre as finanças públicas e o crescimento econômico lento em muitos países sugerem que os investimentos públicos em P&D devem se estabilizar nos níveis atuais ou declinar ainda mais nos próximos anos”, segundo o relatório.


Matérias relacionadas

LUIZ DAVIDOVICH
Presidente da ABC fala sobre os cortes no financiamento da ciência no Brasil
PESQUISA BRASIL
Flora amazônica, financiamento para a ciência e cultura primata
EURIPEDES CONSTANTINO MIGUEL
Psiquiatra fala dos desafios de liderar um grupo de pesquisa