NOTAS

Print Friendly

Diagnóstico da biodiversidade

ED. 253 | MARÇO 2017

 

Uma equipe de 50 pesquisadores de várias universidades brasileiras pretende lançar até julho de 2018 o primeiro diagnóstico nacional sobre a biodiversidade e os chamados serviços ecossistêmicos, benefícios gerados direta ou indiretamente pela natureza, como a polinização das plantas ou a oferta de água e ar puros. A iniciativa está vinculada à Plataforma Brasileira sobre Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES, na sigla em inglês), lançada em fevereiro. O objetivo do grupo é sintetizar o conhecimento sobre esses temas e ajudar autoridades na elaboração de ações voltadas à conservação e ao desenvolvimento sustentável. “Queremos produzir um documento que de fato seja útil, que traga as principais propostas de opções e de caminhos a seguir”, disse à Agência FAPESP Carlos Joly, da Universidade Estadual de Campinas e coordenador do programa Biota-FAPESP, que apoia a plataforma em parceria com o CNPq e a Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável.


Matérias relacionadas

CARLOS ALFREDO JOLY
Levantamento da biodiversidade paulista chega à prática
AMBIENTE
Mata Atlântica volta a crescer no Vale do Paraíba
GILSON MOREIRA
Larvas induzem planta do Pampa gaúcho a produzir galhas