NOTAS

Print Friendly

Gastroenterite assolou astecas

ED. 253 | MARÇO 2017

 

Uma bactéria pode ter matado milhões de pessoas no século XVI onde hoje é o México e contribuído para o declínio do império Asteca. A suspeita é de pesquisadores do Instituto Max Planck, na Alemanha, que analisaram o material genético extraído dos dentes de 29 pessoas enterradas no Sul do México. Quase todas haviam morrido entre 1545 e 1550 em um surto infeccioso que se tornou conhecido como cocoliztli ou peste. Os fragmentos de DNA encontrados correspondiam ao da Salmonella enterica, bactéria que causa infecções intestinais graves (gastroenterite) e que pode ter sido levada para lá pelos conquistadores europeus (bioRxiv, 8 de fevereiro).


Matérias relacionadas

MELHORAMENTO
Projetos buscam novas propriedades em culturas já conhecidas
MANDIOCA
Tubérculo com maior qualidade nutricional teve importância social em São...
CITROS
Centro alia pesquisa e melhorias na produção de frutas cítricas