NOTÍCIAS

Print Friendly

Marcelo Knobel é o novo reitor da Unicamp

Físico encabeçava lista tríplice encaminhada ao governador de São Paulo

BRUNO DE PIERRO | Edição Online 8:47 7 de abril de 2017

 

O físico Marcelo Knobel, novo reitor da Unicamp

O físico Marcelo Knobel, novo reitor da Unicamp

O físico Marcelo Knobel é o novo reitor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Ele foi nomeado na última terça-feira (4) pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, para um mandato de 4 anos. A posse está programada para o dia 19 de abril. Knobel, que será o 12º reitor desde a fundação da Unicamp, em 1966, recebeu 52,6% dos votos do colégio eleitoral da universidade e encabeçava a lista tríplice encaminhada pelo Conselho Universitário ao governador.

Aos 48 anos, Knobel é professor do Instituto de Física Gleb Wataghin e sua especialidade é a pesquisa com materiais magnéticos nanoestruturados (ver Pesquisa FAPESP nº 175). Nascido na Argentina, mudou-se para o Brasil ainda criança acompanhando o pai, o também professor da Unicamp e psiquiatra Maurício Knobel, que morreu em 2008.

Graduado em Física e doutor em Ciências pela Unicamp. Marcelo Knobel fez estágios de pós-doutorado no antigo Instituto Eletrotécnico Nacional Galileo Ferraris, na Itália, e no Instituto de Magnetismo Aplicado, na Espanha, estudando magnetismo. Foi Pró-Reitor de Graduação da Unicamp entre 2009 a 2013, quando implantou o Programa Interdisciplinar de Educação Superior (ProFIS), curso destinado a estudantes que cursaram o ensino médio em escolas públicas de Campinas, ao final do qual os alunos têm a chance de ingressar na graduação da universidade sem passar pelo vestibular. Entre 2015 e 2016, foi diretor do Laboratório Nacional de Nanotecnologia (LNNano). Até 2017, era coordenador-adjunto de colaborações em pesquisa da Diretoria Científica da FAPESP e participou da organização de 14 edições do simpósio FAPESP Week em países como Estados Unidos, Reino Unido, China, Alemanha, Argentina e Uruguai.

Uma das prioridades do mandato será enfrentar a crise financeira da Unicamp, que encerrou o ano de 2016 com um déficit de R$ 253,9 milhões. “Num primeiro momento, será necessário rever contratos e otimizar recursos e, posteriormente, estreitar as negociações com o governo do estado”, diz o novo reitor.


Matérias relacionadas

FÍSICA
Dois fótons podem se comportar como pares de elétrons em supercondutores
FÍSICA
Perturbação em átomos produz fenômeno ondulatório similar ao da luz
ANDRÉ IZIDORO
Modelo propõe nova origem para cinturão de asteroides do Sistema Solar