NOTAS

Print Friendly

Mulheres nos simpósios da Magna Grécia

ED. 254 | ABRIL 2017

 

Vaso nupcial de tumba da antiga Lucânia, onde mulheres participariam de eventos normalmente restritos a homens

Vaso nupcial de tumba da antiga Lucânia, onde mulheres participariam de eventos normalmente restritos a homens

O simpósio dos gregos antigos, uma reunião social embalada por vinho, comida, discussões (filosóficas e mundanas) e entretenimento a cargo de escravos, era frequentado exclusivamente por homens livres. Em partes da Magna Grécia, como era chamado o sul da península itálica colonizado pelos helenos, os costumes parecem ter sido mais liberais. Estudo feito pelas arqueólogas italianas Chiara Albanesi, da Universidade da Basilicata, e Ilaria Battiloro, da Universidade Mount Allison (Canadá), sugere que mulheres de alta reputação social também participavam dos simpósios da Lucânia, região hoje equivalente à Basilicata (Mouseion, v. 14, n. 1, 2017). Elas analisaram artefatos encontrados em 18 tumbas dos séculos IV e III a.C. atribuídas a mulheres de alto prestígio da Lucânia e constataram a presença de objetos ligados ao consumo de vinho, como copos, ânforas e crateras (vasos largos usados para misturar água e vinho). Também foram achados objetos típicos do universo feminino, como joias, utensílios de tecelagem e vasos nupciais denominados lebes gamikòs. Como os túmulos de membros de famílias abastadas da Antiguidade refletiam seus gostos e hábitos, as pesquisadoras argumentam que é razoável supor que essas mulheres tenham participado de simpósios. “Embora a maior parte da informação disponível venha da sociedade ateniense, as atividades nos simpósios eram uma prerrogativa dos homens no mundo grego em geral”, explica Ilaria. “Das comunidades do Sul da Itália, a Apúlia é a única, além da Lucânia, que tem evidência arqueológica documentada de que as mulheres podem ter participado de banquetes comunais.” Os etruscos, povo que então dominava a área da atual Toscana, permitiam que mulheres tomassem parte de seus simpósios, liberalidade que pode ter chegado aos habitantes do sul da península via trocas comerciais.


Matérias relacionadas

HISTÓRIA
Em 130 anos de trajetória, IAC multiplicou suas áreas de interesse
MARIANA DE OLIVEIRA SOMBRIO
Historiadora fala sobre a trajetória da etnógrafa austríaca Wanda Hanke
PESQUISA BRASIL
Energia solar, coletora autônoma e diversidade nas empresas