NOTAS

Print Friendly

Aranhas em miniatura têm diferentes mecanismos de reconhecimento de cores

ED. 255 | MAIO 2017

 

Duas espécies da aranha australiana Maratus (acima) e uma da Habronattus, da América do Norte: células da retina para enxergar azul e vermelho

Espécies diferentes de aranhas saltadoras, menores que a unha do polegar, têm distintos mecanismos de visão em cores, de acordo com um estudo da Universidade de Cincinnati (UC), Estados Unidos. “É muito raro ver cores brilhantes na maioria das aranhas, que geralmente não têm sensibilidade para perceber nada mais além de azuis, verdes e marrons opacos”, comenta Nate Morehouse, biólogo da UC, em um comunicado da National Science Foundation, agência federal que financiou o estudo. “Mas alguns grupos de aranhas saltadoras fogem do padrão, reconhecem vermelhos, amarelos e laranjas e os machos mostram seus corpos com cores brilhantes durante elaboradas danças de acasalamento.” Os machos exibem também apêndices do abdômen que se movem como flaps de avião. Os pesquisadores identificaram diferentes mecanismos de seleção e combinação de cores nos olhos das aranhas dos dois gêneros estudados – o Habronattus da América do Norte e o Maratus da Austrália, ambos da família Saticidae, com 5 mil espécies. Os sistemas visuais evoluíram de modo independente. As Habronattus têm um filtro sensível ao vermelho, que cria um tipo novo de células da retina que enxerga essa cor. As Maratus não têm filtros, mas dois tipos extras de fotorreceptores, um sensível ao azul e outro, ao vermelho. A equipe da UC caracterizou a sensibilidade das aranhas a cores usando microespectrofotometria, medindo diretamente células fotorreceptores da retina, e modelagem matemática do sistema visual.


Matérias relacionadas

ANDRÉ FELIPE CÂNDIDO DA SILVA
Historiador fala da trajetória de 90 anos do Instituto Biológico
ALINE MARIA DA SILVA
Vírus destroem bactérias e ajudam a combater doenças
ALEXANDRE SAMPAIO
Semeadura direta e reaproveitamento de solo recuperaram o Cerrado