NOTAS

Print Friendly

Presidente francês nomeia cientistas para ministérios ligados à pesquisa

ED. 256 | JUNHO 2017

 

A bioquímica Frédérique Vidal (esq.) é a nova ministra da Educação Superior, Pesquisa e Inovação da França, e a hematologista Agnès Buzyn comanda a pasta da Saúde

O novo presidente francês, Emmanuel Macron, e seu primeiro-ministro, Édouard Philippe, convocaram nomes da ciência e das universidades para o comando de ministérios. A bioquímica Frédérique Vidal, de 53 anos, foi escalada para a pasta da Educação Superior, Pesquisa e Inovação, recriada após ter se fundido em 2014 ao Ministério da Educação Nacional. Especialista em genética reprodutiva, Vidal leva para o governo a experiência de quem presidiu nos últimos cinco anos a Universidade de Nice Sophia Antipolis. Outro nome que vem da academia é o ministro da Educação, Jean-Michel Blanquer, de 52 anos. Com formação em direito, filosofia e ciência política, era o presidente da École Supérieure des Sciences Économiques et Commerciales, uma das mais influentes escolas de pós-graduação em negócios da França. Entre 2009 e 2012, foi o responsável pela divisão do ensino secundário do ministério. A médica e pesquisadora em hematologia Agnès Buzyn, 54 anos, foi nomeada para o Ministério da Saúde e da Solidariedade. Ela já havia comandado instituições públicas como o Instituto Nacional do Câncer e a Alta Autoridade em Saúde da França. Entre 2002 e 2006, liderou um grupo de pesquisa em imunologia do câncer do Instituto Nacional de Saúde e de Pesquisa Médica (Inserm). Como Buzyn é casada com o atual diretor do Inserm, Yves Lévy, os assuntos ligados ao instituto serão tratados diretamente pelo premiê Édouard Philippe, para evitar conflito de interesses.


Matérias relacionadas

NOBEL DA PAZ
A Campanha Internacional para Abolir Armas Nucleares foi premiada
LUIZ DAVIDOVICH
Presidente da ABC fala sobre os cortes no financiamento da ciência no Brasil
PESQUISA BRASIL
Flora amazônica, financiamento para a ciência e cultura primata