NOTAS

Print Friendly

Avanços contra a Aids

ED. 258 | AGOSTO 2017

 

Uma vacina experimental contra o HIV foi bem tolerada e gerou anticorpos nos quase 400 voluntários saudáveis de Ruanda, de Uganda, da África do Sul, da Tailândia e dos Estados Unidos, comunicaram pesquisadores dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH) dos Estados Unidos durante um congresso realizado em julho em Paris. Outro teste conduzido pelos NIH indicou que o uso de um anel vaginal renovado mensalmente ou de um comprimido diário, ambos contendo antirretrovirais, são estratégias seguras e eficazes para prevenir a transmissão do vírus entre adolescentes. Também em julho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou um relatório indicando que o total de mortes causadas pela Aids por ano caiu de 1,9 milhão, em 2005, para 1 milhão, em 2016, porque mais da metade das pessoas infectadas no mundo recebe tratamento antirretroviral, embora o ritmo de transmissão do vírus ainda seja considerado alto. No ano passado, 1,8 milhão de pessoas foram infectadas com o HIV, o equivalente a uma pessoa a cada 17 segundos. Um dado preocupante do relatório é que 10% das pessoas que hoje começam o tratamento antirretroviral na África, na Ásia e na América Latina estão infectadas com uma cepa do HIV resistente a algum dos remédios mais usados.


Matérias relacionadas

BRUNA MAYARA
Uso de cocaína na adolescência pode ser mais danoso ao cérebro
PESQUISA BRASIL
Origem da vida, cocaína, videoativismo e vida caipira
VALTENCIR ZUCOLOTTO
Biossensores são utilizados no diagnóstico e na prevenção de doenças