NOTAS

Print Friendly

Fertilidade masculina cai à metade em 40 anos

ED. 258 | AGOSTO 2017

 

O número de espermatozoides produzidos pelos homens de algumas regiões do mundo caiu pela metade nos últimos 40 anos. De 1973 a 2011, a concentração de espermatozoides em indivíduos que vivem na América do Norte, Europa, Austrália e Nova Zelândia diminuiu, em média, 1,4% ao ano. Não houve declínio na América do Sul, na África e na Ásia. A conclusão suscita preocupação sobre a capacidade reprodutiva masculina. Sob a coordenação do epidemiologista Hagai Levine, da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel, os pesquisadores realizaram uma meta-análise de 185 estudos publicados ao longo das últimas três décadas envolvendo 43 mil homens de 50 países (Human Reproduction Update, 25 de julho). Onde houve redução, a concentração de espermatozoides despencou, em média, de 99 milhões por mililitro (ml), em 1973, para 47 milhões por ml, em 2011 – uma queda de 52,4%. Embora não se saiba a causa dessa redução, os autores sugerem que as baixas contagens estariam associadas a um estilo de vida pouco saudável e à exposição a produtos químicos.


Matérias relacionadas

AMBIENTE
Ensaio fotográfico por Léo Ramos Chaves destaca contrastes de São Paulo
CARREIRAS
Universidades oferecem atendimento psicológico para alunos
MEMÓRIA
Expedições mostraram as condições de saúde do Brasil no século XX