NOTAS

Print Friendly

Fertilidade masculina cai à metade em 40 anos

ED. 258 | AGOSTO 2017

 

O número de espermatozoides produzidos pelos homens de algumas regiões do mundo caiu pela metade nos últimos 40 anos. De 1973 a 2011, a concentração de espermatozoides em indivíduos que vivem na América do Norte, Europa, Austrália e Nova Zelândia diminuiu, em média, 1,4% ao ano. Não houve declínio na América do Sul, na África e na Ásia. A conclusão suscita preocupação sobre a capacidade reprodutiva masculina. Sob a coordenação do epidemiologista Hagai Levine, da Universidade Hebraica de Jerusalém, em Israel, os pesquisadores realizaram uma meta-análise de 185 estudos publicados ao longo das últimas três décadas envolvendo 43 mil homens de 50 países (Human Reproduction Update, 25 de julho). Onde houve redução, a concentração de espermatozoides despencou, em média, de 99 milhões por mililitro (ml), em 1973, para 47 milhões por ml, em 2011 – uma queda de 52,4%. Embora não se saiba a causa dessa redução, os autores sugerem que as baixas contagens estariam associadas a um estilo de vida pouco saudável e à exposição a produtos químicos.


Matérias relacionadas

PESQUISA BRASIL
Células-tronco, Indústria 4.0, Nobel da Paz e química verde
PESQUISA EMPRESARIAL
Biolab investe em medicamentos
NOBEL DE MEDICINA
Nobel reconhece estudos sobre o ritmo biológico