NOTAS

Print Friendly

Custo do Brexit para a ciência

ED. 259 | SETEMBRO 2017

 

Reino Unido deve gastar € 1,3 bilhão por ano para continuar em projetos europeus, como o sistema de navegação Galileo

O governo britânico reiterou o interesse em continuar participando de programas científicos europeus depois que o Reino Unido deixar formalmente a União Europeia (UE), em 2019. Em documento divulgado no dia 6 de setembro, deixou claro que não pretende abrir mão de sua participação em projetos como o Horizonte 2020, principal instrumento de financiamento à pesquisa do bloco. Para tanto, os britânicos terão de se deparar com novas condições. É provável que tenham de pagar € 1,3 bilhão por ano, equivalente a suas receitas anuais atuais do programa. Essa regra é válida para países associados ao Horizonte 2020. Os britânicos ainda demonstraram interesse em manter colaborações na Comunidade Europeia da Energia Atômica e nos  programas Copernicus, de monitoramento terrestre, e Galileo, o sistema de navegação global da UE.


Matérias relacionadas

ALISSON CHIORATO
Agrônomo estuda o melhoramento genético para o cultivo de grãos
PESQUISA BRASIL
Programa dedicado aos 130 anos do Instituto Agronômico de Campinas
NOBEL DE ECONOMIA
Uma teoria da contabilidade mental