FOTOLAB

Print Friendly

Um condomínio que (quase) ninguém vê

ED. 265 | MARÇO 2018

 

Janelas em forma de meia-lua com portas acionadas por um sistema hidráulico: a água entra pelos furos e permite a abertura. É essa a casa que o minúsculo invertebrado marinho Fenestrulina commensalis, que não aparece na foto, constrói e nela vive, espiando para fora com os tentáculos em busca de presas. A estrutura microscópica de placas só foi encontrada uma vez, no Espírito Santo, há 10 anos, aderida como azulejos aos tubos de uma única espécie de coral mole. Não quer dizer que não exista mais, ou em outros lugares: “Ninguém olha para os briozoários”, lamenta o biólogo Leandro Vieira, dedicado a encontrar e descrever essa fauna marinha.

Imagem enviada por Leandro Vieira, professor da Universidade Federal de Pernambuco

Sua pesquisa rende fotos bonitas? Mande para imagempesquisa@fapesp.br. Seu trabalho poderá ser publicado na revista.


Matérias relacionadas

BIOLOGIA MARINHA
Diminuta fauna vive nos grãos em regiões pouco profundas do mar
MUDANÇAS CLIMÁTICAS
Acidificação dos oceanos ameaça espécies que vivem em recifes de coral
PALEOBIOLOGIA
Fósseis sugerem que organismos complexos já existiam há 540 milhões de anos