Cartas | 267

Cartas | 267

Algoritmos
Enquanto metade dos algoritmos resolve problemas, a outra metade cria mais problemas (“O mundo mediado por algoritmos”, edição 266).

Eduardo Klein Fichtner

***
Alimentos ultraprocessados
Considero equivocado o uso da denominação “ultraprocessado” para classificar alimentos com formulações pouco saudáveis. O processamento em si torna os alimentos seguros para o consumo e duráveis. Por exemplo, o leite in natura pode ser uma fonte de infecção se não for processado. Alimentos industrializados com excesso de açúcar ou sal não são necessariamente produtos “processados demais”, mas sim com formulações pouco saudáveis. O equívoco na terminologia “ultraprocessado” fica claro na reportagem “Alguns efeitos dos alimentos fabricados” (edição 265), em que a gelatina de abacaxi foi classificada como um abacaxi ultraprocessado, sendo que o produto não é derivado do processamento do abacaxi, mas sim do couro bovino, com adição de açúcar e aroma artificial.

Jorge Andrey Wilhelms Gut

***
Autismo
Durante anos me culpei por ser “esquisita socialmente”, me sentia mal por querer falar somente sobre existencialismo e astronomia (de modo que a angústia me consumia se fossem outros assuntos) e ser considerada chata por isso, me sentia confusa por ter dificuldade absurda em alguns estudos e um talento admirável em outros. Durante muito tempo me sentia ansiosa e esfolava minhas mãos de tanto que as esfregava uma na outra. Quando, finalmente, fui diagnosticada com síndrome de Asperger (transtorno neurobiológico do espectro autista), conforme o Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-5), me dei conta de que não preciso sentir tanta culpa por ser quem eu sou (“O cérebro no autismo”, edição 184).

Heloisa Carmen

***
Ciências humanas e sociais
Por que há tão poucas matérias sobre as humanidades? Gostaria de assinar a revista, mas é desestimulante ver tão poucos artigos dessa área, a minha, por edição.

Luis Sandes

***
Correções

Na reportagem “O mundo mediado por algoritmos” (edição 266) há uma referência equivocada à dificuldade dos computadores em realizar a fatoração de números primos. O correto é afirmar que existe esperança de encontrar algoritmos eficientes para solucionar problemas como a fatoração de números inteiros em primos.

***
Ao contrário do publicado na reportagem “O voo dos bilionários” (edição 265), a empresa Hyperloop Transportation Technologies não faz parte do conglomerado do empresário Elon Musk.

Sua opinião é bem-vinda. As mensagens poderão ser resumidas por motivo de espaço e clareza. cartas@fapesp.br