Imprimir

Antropologia

Arte urbana pelos muros paulistanos

Linguagens do grafite e do pixo integram o repertório da arte contemporânea em todo o mundo, porém isso não elimina as tensões que essas manifestações geram no espaço público. Pesquisa do antropólogo Alexandre Barbosa Pereira, professor do curso de ciências sociais da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), campus de Guarulhos, analisou “pixações” feitas desde os anos 1980 em São Paulo, mostrando como integrantes do movimento desenvolveram linguagem própria em suas inscrições. Veja alguns dos muros de São Paulo fotografados por Léo Ramos Chaves.