Imprimir PDF

Física

As vibrações que a luz causa no espelho

Ondas se propagam na superfície (verde) e no interior (azul e vermelho) do espelho

Nelson Astrath/UEM

Um grupo internacional de pesquisadores, entre eles físicos das universidades Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) e Estadual de Maringá (UEM), isolou e mediu com precisão as vibrações geradas no instante em que um feixe de luz toca a superfície de um espelho e é refletido de volta (Nature Communications, 21 de agosto). Há algum tempo se sabe que, ao atingir o espelho, a luz desencadeia ondas que se propagam pelo seu interior e o fazem vibrar. As medições mostraram que, ao bater no espelho, a luz causa deformações de bilionésimos de milímetro ou picômetros (10-12 metro). Só foi possível fazer aferição tão precisa porque o grupo coordenado pelo físico Tomaž Požar, da Faculdade de Engenharia de Ljubljana, na Eslovênia, conseguiu construir um espelho quase perfeito, que reflete 99,93% da luz incidente e reduz ao mínimo a sua absorção – a luz absorvida aquece o material e gera oscilações mil vezes maiores. Medir as vibrações microscópicas causadas pela luz é importante para o avanço da nanotecnologia. Espera-se, por exemplo, que esse conhecimento ajude a projetar pinças ópticas – feixes de laser que permitem manipular de átomos a células vivas sem causar danos – mais precisas. O desenvolvimento das pinças ópticas rendeu a Arthur Askhin o Nobel de Física de 2018.

Republicar