Imprimir PDF

Arqueologia

A origem do chocolate e o fungo camuflado

Domesticado na Amazônia, o cacau é utilizado há 5.300 anos em bebidas e alimentos

Eduardo Cesar

Artefatos de um povo nativo das Américas que viveu entre 5.300 e 2.100 anos atrás onde hoje é o Equador guardam os vestígios mais antigos de uso e domesticação do cacau. Resíduos em potes e garrafas da cultura Mayo-Chinchipe continham grãos microscópicos de amido de cacau, além de teobromina, composto encontrado nas sementes maduras. Testes de DNA mostraram que o material genético achado nos recipientes era compatível com o dos modernos cacaueiros (Theobroma cacao). O trabalho, feito por um grupo internacional, sugere que a domesticação e o uso do cacau ocorreram na América do Sul, e não na América Central, 1.500 anos antes do que se imaginava (Nature Ecology and Evolution, 29 de outubro). Em outro estudo, as equipes dos brasileiros Gonçalo Pereira, da Universidade Estadual de Campinas, e Paulo Teixeira, da Universidade da Carolina do Norte, Estados Unidos, verificaram que duas espécies de fungo que atacam o cacaueiro despistam o sistema de defesa da planta. Os fungos Moniliophtora perniciosa, causador da vassoura-de-bruxa, e M. roreri, responsável pela monilíase, produzem uma proteína defeituosa que funciona como camuflagem bioquímica e evita a detecção do invasor pelo sistema de defesa da planta (Current Biology, 13 de setembro).

Republicar