Imprimir PDF

Zoologia

Diante de “tigre”, mãe orangotango alerta filhote do perigo

Wikimedia Commons Primata faz barulho similar a um beijo para avisar a proleWikimedia Commons

Diante de um suposto tigre, uma mãe orangotango de Sumatra não se agita. Com aparente calma, segura seu filhote e sobe em um galho mais alto. Só depois, quando a ameaça se retira, a mãe faz um barulho, similar ao de um beijo, que funcionaria como um alerta de que havia algo perigoso por perto. Essa é uma reação sofisticada do ponto de vista cognitivo – algo que seres humanos fazem, mas que ainda não tinha sido observado em outros primatas – e envolve a transmissão para o filhote da percepção de um evento passado, de que havia uma ameaça por perto, de acordo com artigo do português Adriano Lameira, da Universidade de Saint Andrews, na Escócia (Science Advances, 14 de novembro). No caso do filhote, o alerta vocal materno logo em seguida à passagem do predador serviria também como uma ferramenta educativa, que ensinaria o pequeno a se comportar em futuras situações similares. Os orangotangos do experimento coordenado por Lameira não corriam risco real. O predador em questão era, na verdade, um pesquisador andando de quatro coberto com um pano que podia exibir quatro padrões distintos: estampado com listras de tigre, com desenhos aleatórios, com bolinhas coloridas ou inteiramente branco. Das quatro alternativas, a maior parte das reações da mãe orangotango ocorreu diante da estampa tigrada.

Republicar