Imprimir PDF

História

Radiação solar ativou minas marítimas na Guerra do Vietnã

O navio norte-americano Franklin D. próximo ao Vietnã, em 1966

PH1 Hendricks/U.S. Navy Naval History and Heritage Command

Uma forte tempestade solar em 1972 é agora a causa mais provável da repentina detonação de dezenas de minas marítimas durante a Guerra do Vietnã (1955-1975). De acordo com um estudo coordenado por Delores Knipp, da Universidade do Colorado em Boulder, nos Estados Unidos, a intensa atividade solar produziu radiação, plasma solar e partículas eletricamente carregadas que atingiram a Terra (Space Weather, outubro de 2018). Depois de chegar ao planeta em 4 de agosto, as partículas de alta energia e o plasma magnetizado danificaram satélites e causaram problemas de energia, identificados nos Estados Unidos. Nessa data, as auroras, resultantes de partículas carregadas do Sol que interagem com o ar na atmosfera superior da Terra, foram visíveis no norte dos Estados Unidos e no sul do Reino Unido. No mesmo dia, a marinha norte-americana registrou a explosão de dezenas de minas marítimas ao longo da costa do Vietnã sem nenhuma causa aparente. Instaladas com o propósito de bloquear o acesso aos portos vietnamitas, as minas poderiam ser acionadas se detectassem alterações nos campos magnéticos associados a navios em movimento. A atividade solar altera o campo magnético da Terra e, no início de agosto de 1972, as perturbações provavelmente foram intensas o bastante para fazer as minas explodirem.