Imprimir PDF

Biologia

Abelhas “aptas” a somar e subtrair

Abelhas Apis mellifera, como as da foto, poderiam aprender a reconhecer quantidades

RMIT University

Como os chimpanzés, orangotangos, pombos e aranhas, as abelhas também teriam capacidade de aprender a reconhecer quantidades e identificar cores como representações simbólicas de adição e subtração. Em um experimento elaborado por pesquisadores do Instituto Real de Tecnologia de Melbourne, na Austrália, e da Universidade de Toulouse, na França, 14 abelhas Apis mellifera foram colocadas em um labirinto em forma de Y e treinadas a reconhecer duas situações. Em uma delas, ao passar por uma placa com três quadrados pintados de amarelo, tinham de, em seguida, escolher o caminho com um quadrado a menos para receber glicose como recompensa – se erravam, recebiam uma solução amarga como punição. Na outra, depois de passar por dois quadrados azuis, tinham de escolher o caminho com três quadrados para serem recompensadas. Cada abelha foi testada 10 vezes nos dois cenários. Na fase de aprendizagem, aumentou significativamente o número de escolhas corretas, indicando que as abelhas seriam capazes de relacionar cores a somas e subtrações (Science Advances, 6 de fevereiro). Na etapa seguinte, sem recompensa e punição, as abelhas passaram em outros dois testes de adição e dois de subtração. A quantidade e a forma dos elementos coloridos eram diferentes daquelas da fase anterior, para evitar que as abelhas escolhessem a resposta correta por memória. Elas se saíram melhor: acertaram entre 64% e 72% das vezes, de acordo com o teste.

Republicar