ED. 249 | NOVEMBRO 2016

POLÍTICA C&T

Galhos e raízes da árvore da ciência

Projetos começam a reconstituir a genealogia acadêmica de pesquisadores brasileiros

A missão de pensar o futuro da ciência

Antropólogo que coordena projeto financiado pela FAPESP é nomeado para conselho que assessora o governo norte-americano

Prova de velocidade

Brasil perde fôlego em ranking mundial de supercomputadores

Protagonismo incomum

Universidades brasileiras ampliam esforços para transferir conhecimento para a sociedade e ocupam espaços que, em outros países, cabem às empresas

CIÊNCIA

Os efeitos danosos da caça ilegal

Proibida no país desde os anos 1960, a atividade reduziu a população de várias espécies de animais e elevou o risco de desequilíbrio ambiental

Antes da primeira mordida

Aranha-gigante despeja sobre suas presas suco rico em enzimas que inicia a digestão

Cantadas constantes

Mecanismos neuronais explicam a estabilidade vocal de passarinhos

As entranhas expostas da Terra

Mapeamento submarino ajuda a recontar a origem inusitada do arquipélago de São Pedro e São Paulo

Formas e transformações

Com base em ideias reconhecidas pelo Nobel de 2016, grupo brasileiro propõe maneiras de alterar as propriedades elétricas e magnéticas de materiais

TECNOLOGIA

A vez da tilápia

Pesquisas com o peixe mais produzido no país resultam em nova variedade, vacina e probióticos, além de seleção genética

Foco nos biofármacos

Farmacêutica Libbs inaugura fábrica de medicamentos de última geração para tratamento de câncer e doenças autoimunes

Olho no celular

Aparelhos portáteis para exames oculares podem ajudar em diagnósticos feitos a distância

HUMANIDADES

A intelectualidade negra do Império

Antes da Abolição, editores e homens de letras descendentes de escravos desempenharam papel social importante

A era do rádio

Pesquisa analisa a música brasileira produzida entre o samba da primeira geração e a bossa nova

Estratégia de sedução

Governo do Império tentou afastar os povos nativos de suas terras criando aldeamentos administrados por religiosos e com atrativos da “civilização”