Imprimir

Tecnociência

Programa ANSP

Academic Network at São Paulo, Rede ANSP mantida e gerenciada pela FAPESP, interliga, entre si e com instituições situadas fora do Estado, redes institucionais acadêmicas e instituições de ensino e pesquisa do Estado de São Paulo. As ligações às redes internacionais, como Bitnet, Hepnet e Internet, são feitas em alta velocidade, através de três linhas internacionais com taxas de transmissão de 2 milhões de bites por segundo (bps), 256 mil bps e 128 mil bps, respectivamente.

No País, a Rede ANSP se interliga às demais redes acadêmicas estaduais através da Rede Nacional de Pesquisa, RNP. Deve ser observado que todo o tráfego internacional da RNP e das redes estaduais brasileiras. com exceção do tráfego acadêmico dos Estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo (que utiliza a linha internacional da Rede Rio, gerenciada e mantida pela FAPERJ) flui através das linhas internacionais da Rede ANSP.

A Rede ANSP, que entrou em operação em fevereiro de 1989, tem hoje mais da metade dos nós Internet existentes no Brasil. Em 1995, a FAPESP expandiu notavelmente essa rede, com a implantação de novos pontos de ligação e aumento da taxa de transmissão entre várias áreas. Iniciou a implantação de uma espinha dorsal (backbone) principal em alta velocidade (entre 256 Kbps e 2 Mbps) interligando várias cidaqes do Estado (São Paulo, Campinas, São José dos Campos, Ribeirão Preto, Piracicaba, Bauru, São Carlos, Presidente Prodente é São José do Rio Preto). Em cada uma dessas cidades, uma espinha dorsal secundária de média velocidade (entre 64 Kbps e 128 Kbps) a interliga ãs principais cidad,es da região e assim sucessivamente.

Nas grandes cidades, redes metropolitanas de alta velocidade propiciam o oferecimento de diferentes pontos de acesso ãs instituições, permitindo a sua rápida integração à rede. A interligação das instituições de ensino e de pesquisa, uma vez aprovada pelo Conselho Técnico-Administrativo (CTA) da Fundação, é providenciada pelo Programa, com base em estudos de viabilidade técnica e econômica por ele realizados.

Estão entre as mais significativas realizaçôes de 1995, as novas ligações em Campinas (unidades da Universidade Esta dual de Campinas, UNICAMP; Instituto Agronômico, IAC; Instituto de Tecnologia de Alimentos, ITAL; Centro Tecnológico de Informática, CTI; Laboratório Nacional de Luz Síncrotron, LNLSJ Pontifícia Universidade Católica, PUCCAMP; Núcleo de Monitoramento Ambiental, NMA/EMBRAPA); em São José dos Campos (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, INPE; unidades do Centro Técnico Aeroespacial, CTA); em Presidente Prudente (unidades da Universidade do Oeste, UNO ESTE) e em São Paulo (Palácio dos Bandeirantes, Secretaria da Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico, SCTDE; Instituto do Coração, InCOR; Instituto de Pesquisas Tecnológicas, IPT; Instituto de Artes; UNESP; Instituto Adolfo Lutz; Instituto Biológico; Instituto Dante Pazzanese; Instituto Botânico; Instituto Biológico; Instituto Geológico; Instituto de Infectologia Emílio Ribas; Parlamento Latino-Americano; Memorial da América Latina).

Deve-se relacionar, também, as ligações dos vários campi da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP (dentre outros os de Bauru, Botucatu, Assis, Marília, Presidente Prudente, São José dos Campos, Guarantiguetá, Ilha Solteira, Araraquara e Rio Claro, todos integrando a UNESPnet, rede dessa universidade), a ligação em alta velocidade da FAPESP com a Reitoria da UNESP, em São Paulo, e, ainda, com as redes acadêmicas da USP, USPnet e da UNICAMP, UNInet. Os recursos destinados à Rede ANSP estâo incluídos nos auxílios de pesquisa tradicionais, por se tratar de um projeto especial da Fundação.

Republish