Imprimir PDF

Mundo

Computadores mais sensíveis

Tornar os computadores mais parecidos com os seres humanos na maneira de pensar e agir. Esse é o objetivo de um projeto que reúne 160 pesquisadores de 27 instituições da Europa, coordenados pela Universidade Queen de Belfast, na Irlanda do Norte. “Computadores que respondem de acordo com as emoções humanas podem soar como ficção científica, mas esse limite está prestes a ser quebrado”, diz Roddy Cowie, da Faculdade de Psicologia da universidade e coordenador do projeto.

Foram destinados 10 milhões de euros para a pesquisa, que tem duração prevista de quatro anos e envolve a criação de uma interface multimodal que permitirá à máquina perceber e responder de acordo com o que o usuário espera dela. “Atualmente, o uso dos computadores é limitado pelo fato de que precisamos de um teclado e uma tela para acessá-los. Haveria uma enorme diferença se nós pudéssemos interagir com eles falando normalmente, talvez por meio de um microfone ou transmissor”, disse Cowie.

“As interfaces de pronúncia que existem atualmente ignoram os comandos caso a frase não esteja completa”, ressalta. Por isso os pesquisadores envolvidos no projeto estão desenvolvendo métodos de programação para tornar os computadores mais intuitivos. Dessa forma eles poderiam ter um tipo de “personalidade”, mostrar algum grau de autonomia e, em geral, estabelecer uma relação social com o usuário.

Republicar