Imprimir PDF

Bioquímica

Os caminhos bioquímicos do vício

MIGUEL BOYAYANDifícil parar: drogas reforçam conexões nervosasMIGUEL BOYAYAN

Em vez de buscar algo novo, a pesquisadora Liping Wei, da Universidade de Pequim, olhou de modo diferente o que já se conhecia sobre a bioquímica do vício. Entre 1976 e 2006, encontrou 2.343 artigos que relacionavam algum gene ou região cromossômica a diferentes formas de dependência química. Chegou a 396 genes mais importantes e 18 caminhos bioquímicos ligados ao vício. Cinco deles contribuíam para a dependência química de quatro tipos de droga: álcool, cocaína, nicotina e opiáceos (PLoS Computational Biology). Segundo os pesquisadores, três caminhos bioquímicos já vinham sendo investigados, mas não se imaginava que os outros dois também influenciassem a dependência dessas drogas. Os resultados reforçam a suspeita de que pessoas propensas a se tornarem dependentes seriam suscetíveis às quatro drogas, e não a apenas uma. Também ajudam a entender por que é difícil se livrar dos vícios. Algumas dessas vias reforçam a conexão entre as células nervosas, o mesmo mecanismo por trás da aprendizagem.

Republish