Imprimir PDF

Enzimas descolorantes

Enzimas descolorantes

Enzimas produzidas por fungos que crescem na vinhaça, resíduo resultante da produção do álcool da cana-de-açúcar, estão sendo utilizadas no Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena) da Universidade de São Paulo, em Piracicaba, no interior paulista, para eliminar diversas substâncias poluentes contidas nos efluentes têxteis. Testes mostraram que as enzimas descolorem e degradam o corante índigo, utilizado para tingir tecidos. O processo é baseado no método de reciclagem de materiais orgânicos contidos na vinhaça, que são transformados em enzimas e biomassa, testada para a produção de ração animal. O estudo é conduzido há um ano pelo engenheiro ambiental Gleison de Souza, coordenado pela professora Regina Monteiro, do Cena. O objetivo inicial foi encontrar um tratamento alternativo para a vinhaça, tornando-a água de reúso.

Republish