Imprimir PDF

lenta saída

A “lenta” saída do elétron da molécula

Um elétron demora 356 attossegundos a mais do que se acreditava para deixar uma molécula de hidrogênio ionizada (que se tornou carregada eletricamente) por um pulso de laser. A medida foi obtida experimentalmente e por meio de cálculos por físicos dos Estados Unidos e da Alemanha (Physical Review Letters, 30 de setembro).  Um attossegundo equivale a um quintilionésimo (10-18) de segundo. “O resultado foi uma grande surpresa”, diz Andreas Becker, da  Universidade de Colorado em Boulder, autor do trabalho ao lado de colegas da Universidade de Frankfurt. “Nós também achávamos que o processo de ionização dessa simples molécula já era bem compreendido.” Segundo o pesquisador, era esperado que o elétron saísse exatamente no momento em que o vetor do campo elétrico se tornasse paralelo ao eixo molecular. “Mas não foi esse o caso e o processo ocorreu um pouco depois. A dinâmica do elétron é muito mais complicada.” Como muitos processos físicos e químicos têm como etapa inicial a ionização de uma molécula, medir com máxima precisão o momento em que isso ocorre é de grande importância.

Republicar