Imprimir PDF

Tecnociência

Efeitos da seca na Amazônia

A grande seca que atingiu principalmente as regiões sul e oeste da Amazônia em 2005 deixou efeitos que ainda persistem na região. O número de copas secas e de árvores que desapareceram até 2010, quando outro período de extensa estiagem atingiu a mesma área, é muito grande, conforme demonstrou um estudo liderado pelo pesquisador Sassan Saatchi, do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa, a agência espacial norte-americana. O resultado sugere que a ocorrência de secas na Amazônia em intervalos de 5 a 10 anos pode levar a alterações permanentes no dossel da floresta, a cobertura contínua formada pelas copas das árvores. Esse dano pode, segundo o estudo, representar o primeiro sinal de uma potencial degradação florestal em larga escala devido às mudanças climáticas no planeta. O trabalho utilizou dados de radar de micro-ondas do satélite QuikScat, da Nasa, que coletou informações através das nuvens e a poucos metros do chão durante uma década, além de estimar a presença de água na floresta (PNAS, 8 de janeiro de 2013). O estudo contou com a participação da pesquisadora Eliana Anderson, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), além de pesquisadores de universidades inglesas e norte-americanas.

Republish