Imprimir PDF

Mobilidade

Aplicativos de transporte pioram o trânsito

Carros de motoristas que trabalham com aplicativos, em São Paulo: em São Francisco, estudo mostrou agravo nos congestionamentos

Léo Ramos Chaves

Os aplicativos de transporte Uber e Lyft são responsáveis pela degradação do trânsito nas ruas de São Francisco, um dos principais centros urbanos da Califórnia, nos Estados Unidos. A conclusão resulta de um levantamento feito por pesquisadores da Universidade de Kentucky em conjunto com a Autoridade de Transporte do Condado de São Francisco, o órgão local de trânsito. O estudo indica que os congestionamentos na cidade cresceram 62% entre 2010, antes de surgirem os aplicativos, e 2016, com eles em uso. Empregando um modelo de simulação computacional, que levou em conta dados sobre as viagens realizadas pelas duas empresas, obras no sistema viário e o aumento da população do município, os pesquisadores estimaram que, sem os automóveis que trabalham com os aplicativos nas ruas, o aumento teria sido bem inferior, de 22% (Science Advances, maio). O comportamento dos motoristas, que estacionam em fila dupla ou em locais proibidos para pegar passageiros, foi apontado como um dos motivos para a piora do trânsito. Uber e Lyft refutaram os dados. Alegam que o estudo não considerou o aumento da circulação de veículos de entregas nem a elevação do fluxo de turistas na cidade. Os pesquisadores esperam que o estudo ajude autoridades a planejarem políticas de mobilidade mais adequadas para as grandes cidades.

Republicar