Imprimir PDF

Medicina

Exercício com restrição da circulação sanguínea reduz sinais de artrite

Musculação pode aliviar dores causadas por inflamação crônica das articulações

Léo Ramos Chaves

Exercícios de musculação feitos com pouco peso (carga baixa) e associados à restrição parcial da circulação sanguínea produzem fortalecimento muscular e estabilização das articulações das pernas de modo semelhante aos treinos com carga elevada. Como resultado, reduzem as dores e o incômodo da artrite reumatoide, um tipo de inflamação crônica e incurável que acomete as articulações. A doença provoca dores, deformidades e diminuição da força muscular, sobretudo em mulheres com mais de 50 anos de idade. Sob coordenação de Hamilton Roschel, coordenador do Grupo de Pesquisa em Fisiologia Aplicada e Nutrição da Escola de Educação Física e Esporte e da Faculdade de Medicina da Universidade São Paulo (USP), pesquisadores analisaram os efeitos de dois tipos de treinamento em 42 mulheres com idade entre 46 e 67 anos e artrite reumatoide, que têm mais dificuldade para trabalhar com cargas elevadas. Elas foram divididas em três grupos: um fez treinos de alta intensidade e outro de baixa intensidade associado à restrição parcial do fluxo sanguíneo usando um torniquete próximo ao músculo trabalhado. Em cada sessão, praticavam exercícios de extensão das pernas e o chamado leg press, no qual as pernas são usadas para empurrar pesos para longe do corpo. O terceiro grupo, usado como controle, não treinou. As participantes foram acompanhadas duas vezes por semana por 12 semanas e, em seguida, submetidas a testes. Verificou-se que as cargas baixas associadas à restrição parcial do fluxo sanguíneo melhoraram o desempenho e a força muscular dos membros inferiores de modo similar ao do grupo que usou cargas elevadas, reduzindo as dores articulares (Arthritis Care & Research, 29 de abril).

Republish