Imprimir PDF

Cartas | 283

Cartas | 283

Paola Minoprio
Há quase 25 anos, era eu uma mestranda no Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) e tive o prazer de conhecer Paola Minoprio (“Uma nova frente contra doenças emergentes”, edição 282). Os pesquisadores do la-boratório tinham trabalhos em conjunto com ela. Meu sonho era ir para o Instituto Pasteur de Paris e trabalhar com pesquisas básicas ou aplicadas em doenças tropicais. Nos anos em que estive no laboratório do ICB II ouvia falar sobre ela e quando a vi pessoalmente pensei como gostaria de ter tido uma carreira semelhante. A vida infelizmente nos leva a caminhos bem diferentes dos nossos sonhos, mas hoje, lendo a reportagem de Pesquisa FAPESP, fiquei muito orgulhosa de um dia ter sonhado em ser alguém como ela.
Isabela Garcia Isa

***

Febre amarela
Belo trabalho do infectologista Esper Kallas (“Contra-ataque à febre amarela”, on-line).
Renato A. Mortara

***

Poluição
O consumo em geral é desenfreado e o plástico é um entre tantos itens poluentes (“Planeta plástico”, edição 281). Nossa sociedade e economia estão orientadas para o consumo desenfreado. Se pararmos, entramos em colapso; se continuarmos, a natureza entra em colapso e nós junto com ela.
Amanda Saito Coutinho

***

Museu do Ipiranga
Uma pena a reforma do museu ter demorado tanto para começar, mas antes tarde do que nunca (“Vida nova para o Museu do Ipiranga”, edição 281). Tenho saudades de visitá-lo.
Murilo Penteado Del Grande

***

Vídeos
Bacana o vídeo “Poluição plástica em números e imagens!”. Só precisamos nos acostumar a trocar a palavra lixo por resíduos, já que estes podem ser reaproveitados, reutilizados ou reciclados, o que ajuda na diminuição dos impactos ambientais.
Mayra Ceccheti

**

Impressionante o vídeo sobre o Sirius. Sou arquiteto e só o núcleo de 500 metros de concreto de circunferência sem junta de dilatação da obra já me impressionou.
André Luís dos Santos

**

Seria bacana vender moldes de fósseis on-line (“Dinossauros devem ter surgido no Sul do Brasil”). Seria uma excelente ferramenta de divulgação científica.
Phillip Schuster

**

O podcast veio para ficar (“Podcasts ajudam a divulgar a ciência no Brasil”). Prático, leve, bem adaptado à correria da maioria de nós. É um meio acessível de aquisição de conhecimento. Ouço todos os citados no vídeo.
Iara Grisi

***

cartas@fapesp.br

Republish