guia do novo coronavirus
Imprimir PDF Republicar

Estratégias

Linha direta com pesquisadores europeus

Um canal de alta velocidade permitirá que os pesquisadores dos países latino-americanos conversem entre si e com colegas da Europa, por meio de conexão com a rede de pesquisa pan-européia Géant – sem a intermediação dos Estados Unidos. A Comissão Européia firmou contrato de ?12,5 milhões com a Dante (Delivery of Advanced Technology to Europe) para a criação da infra-estrutura de um programa chamado Alice (América Latina conectada com a Europa). A Comissão financiará 80% do projeto e sócios latino-americanos, 20%.

A Alice iniciará sua operação em janeiro de 2004. No Brasil, sua implantação e administração caberá à Rede Nacional de Pesquisa (RNP), do Ministério da Ciência e Tecnologia. “Pela primeira vez, os países latino-americanos terão conexões de Internet de alta velocidade necessárias para uma efetiva colaboração de pesquisa”, diz Erkki Liikanen, comissário europeu para Empresas e para a Sociedade da Informação. O programa Alice foi idealizado na última reunião de cúpula dos países europeus, da América Latina e do Caribe, realizada em Madri, em junho de 2002.

Os chefes de Estado e de governo das duas regiões concordaram que pesquisa científica e desenvolvimento tecnológico são elementos essenciais para a inserção dos países no mundo globalizado. A iniciativa vai também acelerar o desenvolvimento da Sociedade da Informação na América Latina, que contará com uma infra-estrutura de comunicações de dados avançada. Isso vai abrir espaço para uma colaboração maior em projetos avançados de pesquisa internacional. O projeto durará até abril de 2006, quando então a Cooperação das Redes Avançadas da América Latina (Clara) assumirá a manutenção da rede de pesquisa latino-americana e a sua conexão contínua com a Géant.

Republicar