Guia Covid-19
Imprimir PDF Republicar

Boas práticas

Plágio em livros

Lewis Wolpert, biólogo da University College, de Londres, admitiu ter incluído, sem citar as fontes, trechos de artigos de outros autores em suas obras mais recentes. Em You’re looking very well, livro sobre implicações do envelhecimento da população, lançado em 2011, foram identificadas mais de 20 passagens extraídas de artigos acadêmicos e sites, como a Wikipedia, sem indicação de que elas foram escritas por outros autores. O livro foi retirado do mercado pela própria editora, a Faber & Faber. Partes da obra foram copiadas do artigo “Evolutionary theories of aging and longevity”, de Leonid Gavrilov e Natalia Gavrilova, publicado no periódico The Scientific World em 2002. Ao jornal  inglês The Guardian, os autores plagiados disseram que ficaram contentes ao saber que alguns trechos do paper foram publicados no livro de Wolpert. “Mas ficaríamos mais felizes se nosso artigo fosse referenciado”, ressaltaram. Em nota, Wolpert reconheceu o erro e o atribuiu a um “descuido”. A investigação começou em abril passado, depois que a Faber & Faber cancelou o lançamento de um novo livro de Wolpert ao identificar plágio em trechos da obra. Na ocasião, a  editora divulgou uma nota sugerindo que a idade de Wolpert (84 anos) possa ter contribuído para a falha. Procurada para comentar o plágio descoberto também no livro de 2011, a Faber & Faber não quis se pronunciar.

 

Republicar