ESTRATÉGIAS

Print Friendly

Um meteorito no jardim

ED. 180 | FEVEREIRO 2011

 

Santa Luzia: para ser visto e tocado

Uma pedra de 1,9 tonelada está exposta no jardim do Museu de Astronomia e Ciências Afins (Mast), no Rio de Janeiro, não apenas para ser vista, mas também tocada pelos visitantes. De especial, o pedregulho gigante tem o fato de ter vindo do espaço. Trata-se do meteorito Santa Luzia, o segundo maior objeto espacial conhecido no Brasil, identificado em 1922 no município de Santa Luzia de Goiás, atual Luziânia (GO). O maior meteorito achado até hoje no país é o de Bendegó, de 5,35 toneladas, encontrado no sertão baiano em 1784. Um meteorito surge quando um meteoroide, formado por fragmentos de asteroide, cometas ou ainda restos de planetas, alcança a superfície da Terra e não se desintegra completamente durante a queda. Quando encontrado, geralmente o meteorito recebe o nome da cidade ou localidade mais próxima de onde foi achado. O Santa Luzia, peça emprestada do Museu Nacional, no Rio de Janeiro, ficará exposto durante todo o primeiro semestre deste ano no Mast.


Matérias relacionadas

ASTRONOMIA
Colisão de estrelas de nêutrons inaugura nova era na astronomia
NOBEL DE FÍSICA
Rainer Weiss, Barry Barish e Kip Thorne dividem o prêmio
ASTROFÍSICA
A provável origem dos raios cósmicos ultraenergéticos