TECNOCIÊNCIA

Print Friendly

Gene favorece hanseníase

ED. 200 | OUTUBRO 2012

Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookShare on LinkedIn

 

A suscetibilidade à hanseníase pode estar associada a diferentes formas, denominadas polimorfismos, que o gene ficolin 1 (FCN1) pode apresentar numa população. O gene produz uma proteína, a M-ficolina, cujos níveis parecem guardar alguma relação com a propensão a ter a doença. De acordo com a variante do gene presente no DNA, um indivíduo pode estar mais protegido ou exposto à infecção pelo Mycobacterium leprae, agente causador da hanseníase. A conclusão é de um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e colegas da Dinamarca e Alemanha (Journal of Clinical Imunology, 1º de setembro de 2012). O trabalho envolveu 715 indivíduos do Brasil (315 com lepra e 400 do grupo controle) e 296 dinamarqueses sadios. Depois de sequenciarem o gene em questão nessa amostra populacional, os pesquisadores encontraram 10 variantes do FCN1 e perceberam que algumas dessas formas aparentemente favorecem o surgimento da hanseníase.

Email this to someoneTweet about this on TwitterShare on Google+Share on FacebookShare on LinkedIn

Matérias relacionadas

IMUNOLOGIA
Começam testes em humanos de duas vacinas contra zika
CARREIRAS
Bióloga abre empresa de fertilizantes contra pragas do campo
MEMÓRIA
Ensino do mendelismo começou nas escolas de agronomia de São Paulo