TECNOCIÊNCIA

Print Friendly

Gene favorece hanseníase

Edição 200 - Outubro de 2012

A suscetibilidade à hanseníase pode estar associada a diferentes formas, denominadas polimorfismos, que o gene ficolin 1 (FCN1) pode apresentar numa população. O gene produz uma proteína, a M-ficolina, cujos níveis parecem guardar alguma relação com a propensão a ter a doença. De acordo com a variante do gene presente no DNA, um indivíduo pode estar mais protegido ou exposto à infecção pelo Mycobacterium leprae, agente causador da hanseníase. A conclusão é de um estudo feito por pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR), da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR) e colegas da Dinamarca e Alemanha (Journal of Clinical Imunology, 1º de setembro de 2012). O trabalho envolveu 715 indivíduos do Brasil (315 com lepra e 400 do grupo controle) e 296 dinamarqueses sadios. Depois de sequenciarem o gene em questão nessa amostra populacional, os pesquisadores encontraram 10 variantes do FCN1 e perceberam que algumas dessas formas aparentemente favorecem o surgimento da hanseníase.

Print Friendly