Imprimir PDF

Boas práticas

Reviravolta no Japão

Uma pesquisa sobre um novo método para produzir células-tronco por meio da exposição de células maduras em meio ácido, batizado de pluripotência desencadeada por estímulo (Stap, na sigla em inglês), foi alvo de uma investigação para apurar evidências de má conduta científica. O estudo, que foi publicado em janeiro na revista Nature, é liderado por cientistas do Centro de Biologia do Desenvolvimento Riken, no Japão, e teve repercussão na comunidade científica. A autora principal da pesquisa, Haruko Obokat, de 30 anos, foi acusada pelo comitê disciplinar do centro Riken de ter fabricado e manipulado dados de forma intencional. Entre as evidências de fraude, foram citadas anotações de laboratório fragmentadas e não datadas e uma imagem que teria sido utilizada anteriormente na tese de doutorado da pesquisadora. Obokat alega que a imagem foi adicionada por engano. Em entrevista à Nature, a pesquisadora disse que o julgamento foi “inaceitável” e que irá recorrer da decisão na Justiça. Em nota, a Nature afirmou que não comentaria sobre o caso até realizar sua própria apuração, avaliando as conclusões da investigação feita pela instituição japonesa.