Imprimir PDF

Boas práticas

Fraude científica e desvio de recursos

Um artigo publicado em 2013 no British Journal of Psychiatry foi cancelado depois que uma investigação da Universidade de Genebra, na Suíça, confirmou que ele contém dados fabricados. O artigo relata uma incidência maior do que a esperada de alterações epigenéticas em pessoas com transtorno bipolar que sofreram trauma na infância e tem como autor principal Alain Malafosse, professor de psiquiatria pediátrica da universidade. A epigenética consiste no estudo de alterações na expressão gênica que independem de mudanças na sequência do DNA. Malafosse é acusado de inventar dados referentes à metilação do DNA, que ocorre quando há adição de um grupo metila (formado por partículas de hidrogênio e carbono) à base citosina do DNA. Ex-diretor da divisão de psiquiatria do hospital universitário de Genebra, Malafosse também é acusado de desviar cerca de US$ 1,8 milhão de recursos para pesquisas. De acordo com o jornal suíço The Local, ele teria desviado o dinheiro por meio de contas bancárias a uma fundação sem fins lucrativos com sede em Montpellier, na França. Malafosse foi afastado da direção do hospital na Suíça.